Quer ser astrônomo(a)?

 

1 - O que é necessário para ser Astrônomo?

O astrônomo profissional deve fazer bacharelado em astronomia ou física (tanto faz), alguns também são matemáticos. A astronomia é uma carreira acadêmica e são poucas as opções para o profissional que não tiver pós-graduação, ou seja, mestrado e doutorado. Mas existem vários astrônomos que trabalham em planetários ou que são professores de física ou matemática, sem o grau de doutor.

2 - Quanto tempo demora?


MUITO! Bacharelado: 4-5 anos, pós-graduação; mestrado: 2-3 anos, doutorado: 4-5 anos. Desde o ingresso no vestibular deve demorar uns 10 anos para se tornar doutor em astronomia. Mas a boa notícia é que já começamos a ganhar bolsa de estudos ainda no bacharelado (bolsa de iniciação científica). Nenhum estudante que eu conheça faz ou fez pós-graduação sem bolsa de estudos. A bolsa não é alta mas dá para viver. Tudo isto é válido para estudar no exterior também. Alguns países não exigem o título de mestrado antes de cursar o doutorado. Mas no Brasil é regra geral fazer mestrado. Existem alguns casos de alunos de doutorado sem título de mestrado, mas são casos especiais.

3 - O que tenho que fazer para ser um astronauta?

Para ser astronauta na NASA precisa ser cidadão americano, muitos são pilotos da força aérea americana, são formados em alguma área tecnológica, e possuem doutorado (PhD) em alguma área tecnológica também. Todos têm ótimo preparo físico e foram alunos exemplares. Para ser astronauta da ESA precisa pertencer a algum país europeu membro da ESA e possuir todas as outras qualificações também. O Brasil ainda é iniciante no assunto, então sugiro investir nos estudos, escolher alguma carreira na área tecnológica, fazer curso de piloto, estudar muito e torcer para o Brasil investir mais na aeronáutica. O Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) pode ser uma boa opção para o curso de doutorado, assim como o ITA.

 4 - O que é preciso para ser astronauta e ir para o espaço?

Ser astronauta não é impossível, basta ser teimoso e estudar muito porque a grande maioria tem doutorado em alguma área científica ou tecnológica além de curso de piloto e bom preparo físico. Os que estiverem mesmo interessados, sugiro fazer universidade fora do Brasil e tentar a cidadania européia, americana ou russa. A astronáutica brasileira infelizmente está no início há muitos anos, mas quem sabe agora não avança mais rapidamente depois da nossa ida à ISS? 

5 - Além da NASA em qual outra agência eu posso trabalhar?

A Agência Espacial Européia, ESA, também é uma excelente opção, mas só trabalha lá europeus dos países membros da ESA. O Canadátambém tem um bom programa espacial e, claro, a Rússiajá faz isto há muito tempo. A Chinae o Japãotambém tem programas espaciais avançados. Mas o astrônomo trabalha em muitos outros lugares, a NASA seria mais adequado para quem está interessado em ciência espacial.

6 - É necessário ter cidadania americana para trabalhar na NASA?

Eu sou brasileira, não tenho cidadania americana e trabalho na Nasa, mas sou contratada por tempo limitado, não sou funcionária pública. Para ser funcionário público precisa ser cidadão americano. Já na ESA precisa ser europeu, mas tem alguns casos de não-europeus contratados também. O INPE é um ótimo instituto brasileiro e pode ser um bom caminho para entrar em projetos internacionais. Dentro destes projetos existe intercâmbio e oportunidades de se trabalhar no exterior.

7 -Quantos brasileiros hoje trabalham na NASA?

Já tentei contar quantos brasileiros somos, mas fica difícil. São muitos centros da NASA (10) e não tenho contato direto com todos os centros. Eu estimei uma vez uns 30, mas baseado no Goddard Space Flight Center (GSFC) que é o maior de todos. No GSFC eu conheço 5, mas sou a única pesquisadora, os outros são analistas de dados, de software, tem até um oceanógrafo. Sei que tem pelo menos 2 no JPL, uma engenheira e uma astrônoma que trabalha na área de planetas.

8 - É necessário ir para o exterior para estudar astronomia?

É possível ficar no Brasil SIM! O Brasil oferece todos os cursos necessários e os astrônomos podem trabalhar em universidades, institutos de pesquisas e planetários brasileiros. Mas é muito comum sair uma vez por ano para participar de congressos no exterior e visitar observatórios e outras instituições. O bom pesquisador é aberto a colaborações com outros pesquisadores tanto do Brasil quanto do exterior.

9 - Aonde posso estudar astronomia no Brasil?

Apenas a UFRJ e recentemente a USP oferecem o curso de bacharelado em astronomia no Brasil, mas quase todas as federais e estaduais oferecem o curso de física. Muito astrônomo se forma em física e se especializa em astronomia no mestrado e doutorado. A USP oferece também a especialização em astronomia dentro do curso de física. Muitos astrônomos são professores em departamentos/institutos de física. Por exemplo, UFRGS (Porto Alegre), UFSC (Florianópolis), UFSM (Santa Maria), UERJ, UFRN (Natal), UFMG (Belo Horizonte) e outras cidades menores como Londrina, Cuiabá, Feira de Santana, Itajubá, também possuem grupos de astrônomos atuantes. A USP/IAG concentra o maior número de astrônomos. Eu recomendo uma visita a um destes centros para os que não estão seguros da escolha.

10 - As universidades do exterior costumam dar bolsas de estudo para estudantes estrangeiros na área da astronomia?

Geralmente os estudantes de doutorado brasileiros saem do país por uns 2 anos para trabalhar em algum projeto de pesquisa. A bolsa pode ser brasileira ou estrangeira. Não é muito difícil de conseguir, precisa apenas ter um bom projeto e algum colaborador no exterior. É possível conseguir bolsa para fazer o doutorado integral no exterior também. Para concorrer a bolsas nos EUA basta mandar o currículo para as universidades, mandar cartas de recomendação e fazer as provas do GRE e TOEFL. O bom aluno e que fala bem inglês tem boas chances de conseguir bolsa americana.

11 - Os astrônomos trabalham ao ar livre?

Infelizmente a maior parte do trabalho é feito dentro da sala, em escritórios com computadores. Mas nada impede que o astrônomo curta atividades ao ar livre. A grande maioria dos astrônomos gosta de viajar, explorar e passear pelas montanhas.

12 - Quais os idiomas um astrônomo brasileiro precisa saber?

O astrônomo brasileiro precisa saber bem o português e o inglês. Outras línguas como o espanhol, o francês e o alemão podem ajudar durante as viagens, mas não são essenciais.

13 -Astrofísica é diferente de astronomia? Quais são as áreas de trabalho?

Astrofísica é uma área da astronomia e assim como a física quântica é uma área da física. O físico formado pode fazer doutorado (PhD) em astrofísica, física quântica, ou em outras áreas da física, como física de partículas, física do estados sólidos, etc. A maioria dos físicos com título de doutor em astrofísica, geralmente trabalha em alguma universidade aonde faz pesquisas e leciona.

14 - Em que áreas da astronomia trabalham os matemáticos?

Os matemáticos geralmente trabalham na área de Mecânica Celeste, cálculo de órbitas, etc. Muitos depois entram para a Embratel-Star One.

15 - É necessário um astrônomo gostar de cálculos ou matemática?

Eu recebo bastante mensagens de jovens que gostariam muito de fazer astronomia mas não gostam de cálculos e/ou física. Eu não vejo nada de errado nisto, pelo contrário, isso é o mais comum. Mas na vida temos que ser realistas, não adianta fazer astronomia se não tiver afinidade com a matemática e com a física. Se o único motivo que te leva a fazer astronomia é a beleza dos astros e a curiosidade, eu sugiro, que você se torne um astrônomo(a) amador. Os amadores são grandes conhecedores da astronomia e curtem a astronomia como hobbie. Hoje em dia com a internet, o acesso a informação é fácil e barato. Além disto, os preços de telescópios e binóculos estão cada vez mais baixos, o que facilita a vida do amador. Sugiro também cursos em planetários e museus, desta forma você pode se atualizar e conhecer a astronomia um pouquinho mais profundamente. A matemática é uma ferramenta fundamental para o astrônomo e não dá para escapar dela. O astrônomo profissional é um cientista e está sempre usando todas as ferramentas possíveis para responder os problemas que ainda não têm solução.

16 - Existe alguma aplicação da computação na astronomia?

A computação e a astronomia caminham lado a lado. Na NASA temos um número imenso de engenheiros de software e analistas e trabalhamos com eles no dia a dia.

17 - O que é astrobiologia? ou exobiologia?

A astrobiologia é uma área da astronomia que estuda o aparecimento da vida. É uma área da moda. Aos que estiverem interessados em começar astronomia agora ou no futuro, sugiro ficar de olho nos investimentos em astrobiologia e quem sabe se especializar nisto depois. A busca por planetas fora do sistema solar é prioridade nos investimentos de hoje.

O termo exobiologia quer dizer o mesmo que astrobiologia. Estuda a origem e a evolução da vida na Terra e no universo como um todo.

18 - É possível estudar astronomia a partir da geografia?

Geralmente o estudante de geografia tem acesso a alguns cursos de astronomia. Eu sugiro perguntar se são oferecidos alguns cursos de astronomia para quem não é da área de física. Sei que a USP e a UFRJ tem este tipo de curso. Acho importante que um geógrafo tenha conhecimentos de astronomia porque ajuda a entender as características terrestres.

19 - O que é arqueoastronomia?

Não sei muito a respeito. Sei que é uma área relativamente nova na astronomia e que estuda a astronomia das antigas civilizações.

20 - Formando-se em Engenharia Industrial Mecânica ou Engenharia qual o caminho para trabalhar na NASA?

A NASA tem muitos ramos da engenharia. Eu vou passar um link sobre engenharia elétrica na NASA aonde trabalho, só como um exemplo: http://eed.gsfc.nasa.gov/projects.htm

A melhor forma de chegar até a NASA é através de um bom currículo e um contato dentro de algum projeto vigente. Sugiro estudar algum projeto a fundo e mandar e-mail, com o currículo, manifestando o interesse no projeto e demonstrando alguma experiência na área. A experiência pode ser adquirida no Brasil, mas tem que ser comprovada com carta(s) de recomendação de professores/chefes, publicações, etc.

Uma boa forma de conhecer o pessoal da NASA é através de participação em congressos aonde eles apresentam os projetos que estão trabalhando.

A astronomia precisa de engenheiros que desenvolvam os softwares e os equipamentos de última geração a serem utilizados. O melhor seria fazer uma pós-graduação ou uma especialização em algum projeto aplicado a astronomia. Por exemplo, a área de detectores tem bastante campo porque estamos sempre melhorando os detectores. Atualmente a moda é infra-vermelho, óptica adaptiva, detectores de ondas milimétricas. As universidades geralmente tem contato com os observatórios e grupos interessados em instrumentação. No Brasil, o INPE e o Laboratório Nacional de Astrofísica são bastante atuantes nesta área. A USP tem colaboração em vários projetos também como o telescópio SOAR e o Gemini.

21 - É possível uma Brasileira conseguir trabalhar na área de Astronomia no Japão?

Eu sugiro estudar no Brasil e ir para o Japão fazer parte do doutorado ou pós-doutorado. A astronomia lá é bem avançada e eles são abertos a colaborações. Durante a pós-graduação no Brasil, o estudante pode tentar ir para o Japão trabalhar em algum projeto por 1 ou 2 anos e até observar no Havaí com o telescópio Subaru, que tal?

Tenho diversos amigos astrônomos japoneses e já estive lá. É muito legal, mas precisa falar pelo menos inglês.

22 - Quanto tempo e mercado de trabalho?

A graduação demora uns 4 a 5 anos, o mestrado 2 a 3 anos, e o doutorado 4 a 5 anos. Depois disto o doutor em astronomia tem que fazer concurso para as universidades (física ou astronomia), observatórios e planetários do país. Mas o mercado cresce se o profissional sair do Brasil e explorar outros países. Enquanto estiver esperando os concursos no Brasil existem também bolsas de estágios de pós-doutorado no Brasil e no exterior.

23 - Se formando na área de Ciências da computação, tem como entrar na NASA? Em que área trabalharia lá? Que caminho indicaria até chegar lá?

A melhor forma de se ingressar na NASA é através de conhecimento com alguém que trabalhe em algum projeto em algum dos centros. Isto pode ser feito pela internet ou em viagens a conferencias aonde funcionários da NASA estão participando. Outra forma é se vincular a projetos brasileiros que tem alguma colaboração com cientistas da NASA. E ainda uma outra forma é através de universidades americanas próximas de centros da NASA. Por exemplo, quem estuda no Caltech, UCLA pode fazer algum projeto de pesquisa no Jet Propulsion Laboratory. Os estudantes da Johns Hopkins University e da PUC de Washington podem pesquisar no Goddard Space Flight Center e os estudanres da Universidade do Alabama podem pesquisar em Huntsville etc.

24 - Qual é o salário médio de um Astrônomo(a)?

Em QUALQUER país do mundo, na NASA ou em qualquer observatório, o salário de um astrônomo é o equivalente ao salário de um professor universitário. Nenhum astrônomo passa fome e não existe o desemprego na astronomia. O que existe é uma migração dos astrônomos para outras áreas como ensino e computação.

25 - Como é a área de Astroquímica?

A Astroquímica não é uma área muito bem definida, envolve tanto a astronomia quanto a química. Eu sugiro fazer astronomia ou física e depois se especializar em evolução química dos astros. Pode por exemplo estudar como as estrelas enriquecem o meio interestelar com elementos químicos, como as moléculas se formam, etc.

26 - Como são os locais de trabalho?

Existem muitos observatórios no mundo aonde os astrônomos podem trabalhar. Aqui vai uma lista que fiz com o yahoo de todos os observatórios no catálogo deles. observatórios
Mas o grande mercado de trabalho do astrônomo é o meio universitário. A grande maioria dos astrônomos são empregados por alguma universidade aonde são cientistas, professores e supervisores. O meio universitário é um dos mais propícios para o desenvolvimento da ciência.

27 - A NASA contrata engenheiros aeronáuticos? Ou só aeroespaciais?

A NASA contrata engenheiros de várias áreas, aeroespacial e astronáutica, mas também elétrica, eletrônica, sistemas, etc. Como sempre perguntam sobre isto, achei que seria interessante mostrar esta entrevista com uma engenheira aeroespacial da NASA http://amsd-www.larc.nasa.gov/meweb/Aerospace_Engineer_Interview.html(em inglês).

28 - O que é Jornalismo Científico?

Para os que não são muito amigos da matemática, mas que gostariam de seguir alguma carreira que fosse paralela a uma carreira científica, eu recomendo o Jornalismo científico. O jornalista científico escreve artigos para o público contando as últimas descobertas científicas e não precisa dominar a matemática. Mas claro que precisa ser bom no português e aconselho ser bom em inglês também.

29 - Aonde você, dra Duília de Mello, estudou?

Eu fiz doutorado na USP, mestrado na Universidade do Alabama EUA, mestrado no INPE em S. J. dos Campos, iniciação científica no Observatório Nacional no Rio de Janeiro, bacharelado em astronomia na UFRJ.

30 - Como você entrou na Nasa?

Eu não sou cidadã americana e não posso trabalhar como servidora pública, então o meu trabalho na Nasa é através de projetos. Meu primeiro projeto na Nasa foi para trabalhar com o o Dr. Jon Gardner com imagens tirada com o Hubble. Eu mandei o meu currículo para o Dr. Gardner quando eu estava procurando emprego e ele me contratou. Mas depois do meu segundo ano na Nasa eu comecei a trabalhar nos meus próprios projetos. Todos eles são financiados pela Nasa e com isto pago o meu salário e financio a minha pesquisa. Sou também professora da Universidade Católica de Washington DC - a PUC americana.

Estas perguntas e respostas foram adaptadas de um forum da comunidade de Astronomia do orkut: Astronomia Duilia de MelloDuilia  Duilia

 


Home VideosFotosContato 

Todos os direitos reservados. Marca registrada Mulher Das Estrelas